Caixas de mensagens

Um "hello, world" conceituado

Vamos programar um pouco. Neste momento é importante, se ainda não o fez, que instale o Visual Studio Community 2019.

Abra o Visual Studio e crie um novo projeto do tipo Console App, conforme a imagem abaixo mostra:

Tela de criação de projeto do Visual Studio Community 2019

Nomeie o projeto como "Mensagem" (sem aspas) e após criá-lo, substitua o conteúdo do arquivo Mensagens.cpp que o Visual Studio criará automaticamente por este:

#include <Windows.h>
int main() {
MessageBox(nullptr,
L"Estou estudando a Windows API\n\nGostei disso! :)",
L"Mente Binária",
MB_OK | MB_ICONINFORMATION);
return EXIT_SUCCESS;
}

Tecle F5 para rodar o programa e você deve ver uma janela como esta:

Há vários conceitos escondidos neste código de propósito, de forma que dedeiquemos alguns minutos ao estudo deles. Acompanhe:

  • Na linha 1, como o Windows utiliza sistemas de arquivos que não são sensíveis ao caso, ou seja, não diferenciam maiúsculas de minúsculas, tanto faz escrever Windows.h, windows.h ou mesmo WINDOWS.H. Vai funcionar.

  • Na linha 4 chamei a função MessageBox, mas ela na verdade não existe: é uma macro, substituída pelo pré-processador pelas funções MessageBoxW (mais comum) ou MessageBoxA (caso a macro UNICODE não esteja definida)

  • Ainda na linha 4 introduzi um conceito novo, de nullptr ao invés de NULL, aproveitando que o compilador utilizado é de C++. Acho melhor de digitar.

  • Nas linhas 5 e 6 (sim, não há o menor problema em colocar os outros parâmetros da função em outras linhas para facilitar a leitura) eu passo para a função o texto e o título, respectivamente. Impossível não notar o L colado com as aspas duplas que abrem uma string em C não é mesmo? Ele serve para transformar a string subsequente em uma wide string (UNICODE), que já estudamos. É necessário para a função MessageBoxW (perceba o W no final) que subsituirá a função MessageBox neste código. Também usamos o caractere de nova linha \n duas vezes para dividir a mensagem em três linhas, sendo a segunda vazia.

  • Na linha 7 eu utilizo uma combinação de duas flags: MB_OK e MB_ICONINFORMATION. Esta última configura este ícone de um "i" numa bolinha azul.

  • Por fim, na linha 9, utilizo a macro EXIT_SUCCESS, que expande para 0. Sua contraparte é EXIT_SUCCESS, que expande para 1.

Lendo o retorno da função

Agora vamos criar um programa um pouco maior afim de estudar mais conceitos da API do Windows. Compila aí:

#include <Windows.h>
int main() {
LPCWSTR titulo = L"Mente Binária";
int ret = MessageBoxW(nullptr,
L"Você já se registrou em https://menteb.in?",
titulo,
MB_YESNO | MB_ICONQUESTION);
if (ret == IDYES) {
MessageBoxW(nullptr, L"Aê! Isso é ser inteligente!", titulo, MB_OK);
}
else if (ret == IDNO) {
MessageBoxW(nullptr, L"Tá esperando o que então? Vai lá!", titulo, MB_OK);
}
return EXIT_SUCCESS;
}

Vamos analisar os conceitos novos aqui, como fizemos com o programa anterior:

  • Na linha 5 declaro uma variável do tipo LPCWSTR. A diferença de LPCSTR, que já estudamos, é este "W", de wide, para definir uma string UNICODE.

  • A linha 7 declara uma variável ret do tipo int e já a inicializa com o retorno da chamada à MessageBoxW.

  • Nas linhas 12 e 15 comparo o conteúdo da variável res, que detém o retorno da chamada à MessageBoxW. Se for igual a IDYES, novamente uma macro, mostra uma determinada mensagem. Se for igual a IDNO, mostra outra.

Em relação às strings, há três maneiras de se programar com a Windows API: ASCII (CHAR), UNICODE (WCHAR) ou em compatibilidade (TCHAR), que vai ser CHAR ou WCHAR, caso UNICODE esteja definida. Sinceramente, não há razão para não utilizar o padrão UNICODE e portanto usaremo-os bastante neste livro.

A tabela abaixo, retirada de uma resposta a uma dúvida na MSDN, ajuda na compreensão:

Tipo

Expansão

LPSTR

char*

LPCSTR

const char*

LPWSTR

wchar_t*

LPCWSTR

const wchar_t*

LPTSTR

char or wchar_t dependendo da _UNICODE

LPCTSTR

const char or const wchar_t dependendo da _UNICODE